Jean-Pierre Jeunet, diretor de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, disse em entrevista à rádio francesa RTL que está “desgostoso” com a adaptação de seu filme para uma peça musical na Broadway, noticiou a Agence France-Presse.

O diretor do famoso filme francês disse que só vendeu os direitos de Amélie por poder ajudar uma instituição de caridade com o dinheiro: “Por muito tempo eu resisti, eu recusei todas as ofertas. Mas dez anos depois, há uma certa crise. Eu ajudo uma organização chamada Mecenat Chirurgie Cardiac (Amparo à Cirurgia Cardíaca). Custa 10.000 euros para salvar uma criança, eu já ajudei a salvar uma boa dúzia de crianças, e então eu pensei que poderia ser uma chance de salvar mais.”

Jeunet disse odiar profundamente a Broadway e ter horror a musicais: “Eu penso que é um excesso de pegajosidade.”

“Posso te dizer que não vou ver, eu não quero nem ouvir falar disso, eu não vou ouvir o que eles estão fazendo, mas se me traz algum dinheiro, e assim posso salvar algumas vidas… Essa é a única razão para eu ter aceitado”, finalizou.

Amélie foi indicada a cinco prêmios Oscar em 2011, ano de seu lançamento, incluindo o de melhor filme estrangeiro.

O texto será adaptado para a Broadway pelo compositor estadunidense Dan Messe. A previsão de estreia ainda não foi divulgada.

Sem mais artigos