Os admiradores da obra de Woody Allen sabem que o cineasta norte-americano passou por diversas fases em sua filmografia. E a fase inicial, no final dos anos 60 e início dos 70, caracterizou-se por altas doses de escracho e irreverência. E principalmente o uso da sátira e da paródia para criticar governo, religião e sociedade.

E um desses ataques permanecia obscuro até agora. Realizado em 1971, o curta-metragem Men of Crisis: The Harvey Wallinger Story pretendia debochar do então todo-poderoso do governo norte-americano, Henry Kissinger – secretário de estado do mandato de Richard Nixon.

Daí o título: Harvey Wallinger é, obviamente, uma paródia de Henry Kissinger. O próprio Woody encarna o personagem. Diane Keaton e Louise Lasser também atuam no curta – na época, Woody estava separado de Louise, com quem havia sido casado. E estava começando seu relacionamento com Keaton.

O filme é uma curiosa versão de “docudrama” ou mockumentary – Woody utiliza cenas jornalísticas reais e as embaralha com sequências ficcionais e roteirizadas. Uma tática que ele mesmo retomaria brilhantemente em seu filme Zelig (1983) – e que atualmente anda mais em moda do que nunca.

Na época do lançamento, o curta foi direto para a TV, mas logo foi banido – o problema era a campanha para a reeleição de Nixon, que já estava a todo vapor – ele se reelegeu em 1972. O filme foi considerado inconveniente, subversivo e de certa forma perigoso.

Mas nada como a internet. Agora o curta pode ser conferido no YouTube. Assista ao filme:

Curta maldito de Woody Allen realizado há 40 anos cai na internet

Sem mais artigos