Fotos do filme A Montanha, de Vicente Ferraz, com Daniel de Oliveira

Tenente (Julio Andrade), Guimarães (Daniel Oliveira), Laurindo (Thogun) e Piauí (Francisco Gaspar), protagonistas de A Montanha

A nova produção de Vicente Ferraz (Soy Cuba, o Mamute Siberiano), A Montanha, tem como protagonistas Daniel de Oliveira (Cazuza – O Tempo não Pára), Julio Andrade (Cão sem Dono), Thogun (Bruna Surfistinha) e Francisco Gaspar (A Casa de Alice), além dos atores internacionais Sergio Rubini, Richard Sammel e Ivo Canelas. As filmagens com todo o elenco começaram em fevereiro na Itália (na região de Friuli-Venezia Giulia), onde será inteiramente filmado.

A Montanha mostra parte dos bastidores da participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, no período entre 1939 e 1945.  Conta a história dos soldados Guimarães (Daniel Oliveira), Tenente (Julio Andrade), Piauí (Francisco Gaspar) e Laurindo (Thogun), que ao sofrerem um ataque de pânico coletivo, no sopé do Monte Castelo, eles tentam descer a montanha, mas se perdem em meio à neve e ao desespero. Depois de se reencontrar, o grupo tem que decidir: tentar voltar ao batalhão e ser acusado de abandono, enfrentando assim a Corte Marcial, ou voltar para a posição da noite anterior correndo o risco de sofrer um ataque surpresa do inimigo.

O episódio foi bastante traumático para muitas famílias brasileiras, mas é, ainda hoje, praticamente desconhecido por muitas pessoas. Ferraz, que dirigiu o multi-premiado Soy Cuba, o Mamute Siberiano, chegou a ler os relatos e foi quando resolveu fazer o filme. “Mais que os livros de história que li, o que mais me interessou foram os relatos dos próprios pracinhas (como eram chamados). Vários escreveram livros de memória. Independentemente do valor literário, foi por meio daqueles relatos que entendi finalmente a dimensão daquela aventura: jovens, humildes, caboclos, mulatos, filhos do Brasil que estavam lá. A emoção, a coragem, o medo, o frio, a saudade humanizaram muito a idéia que eu tinha daquela guerra. Vi o melhor do brasileiro naqueles relatos”.

O elenco luso-ítalo-germano

Além dos brasileiros já mencionados, o elenco inclui atores italianos, portugueses e alemães. Sergio Rubini, ator italiano com mais de 30 longas no currículo (entre eles, A Paixão de Cristo, de Mel Gibson e Entrevista, de Federico Fellini) também participa. O alemão Richard Sammel esteve numa das últimas obras de Quentin Tarantino (Bastardos Inglórios, e atuou também em 007 – Cassino Royale).

Ivo Canelas, português, completa o time de atores. Nascido em Lisboa, Canelas já atuou em quase vinte filmes, entre eles, O Mistério da Estrada de Sintra e Call Girl, atuações que lhe renderam o Globo de Ouro de melhor ator, em 2007.

O diretor

O carioca Vicente Ferraz estudou comunicação na PUC – Rio; depois passou pela Escola de Cinema e Televisão de Santo Antonio de Los Bãnos, em Cuba. Nos anos 90 voltou para a ilha para ser professor da cadeira de Fotografia. Dirigiu vários curtas e documentários no Brasil, em Cuba, Costa Rica e Nicarágua.

Seu documentário Soy Cuba recebeu inúmeros prêmios, entre eles, o de melhor documentário do 33º Festival de Gramado e no Festival de Guadalajara. Foi também o único filme que representou o Brasil no Festival de Sundance 2005.

Os últimos trabalhos do diretor foram a realização de O Último Comandante (premiado no Cine Ceará e no Festival de Trieste, ambos em 2010, e exibido no Festival do Rio e na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo) e a estréia de Arquitetos do Poder no É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários.

Daniel de Oliveira, Julio Andrade e Thogun filmam o drama A Montanha na Itália

Sem mais artigos