Leonardo DiCaprio, que interpreta o inescrupuloso milionário do mercado financeiro Jordan Belfort, no filme O Lobo de Wall Street, saiu em defesa do longa. O ator nega que o projeto, dirigido por Martin Scorsese, seja uma apologia ao estilo de vida de Belfort, condenado por fraude de segurança e lavagem de dinheiro em 1998.

“Eu espero que as pessoas entendam que nós não estamos fazendo apologia a este comportamento. Nós o estamos acusando. O livro [autobiografia de Belfort em que o filme é baseado] é uma história cautelosa. E se você presta a tenção no filme, percebe o que estamos falando sobre esse filme e esse mundo, porque é algo venenoso”, disse à revista Variety.

No começo de dezembro, Scorsese foi criticado por integrantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas depois de uma exibição do filme.

Christina McDowell, filha de Tom Prousalis, sócio de Jordan Belfort, expressou seu descontentamento em relação ao conteúdo do longa. “Vocês pensaram sobre a mensagem cultural que vocês estariam passando quando vocês decidiram fazer esse filme? Você conseguiram se alinhar com um criminoso, com um cara (Belfort) que ainda não restituiu suas vítimas”, escreveu McDowell, em carta aberta escrita ao LA Weekly.

The Wolf of Wall Street acompanha a incrível ascensão e a dramática queda de Belfort no mercado financeiro em Wall Street. O filme tem estreia no Brasil marcada para o dia 24 de janeiro de 2014.

Sem mais artigos