Mel Gibson não está escalado para a nova trilogia de Mad Max. Essa notícia já era conhecida, e gerou rumores de que o motivo seria a bateria de escândalos envolvendo o ator nos últimos anos: suas declarações públicas fizeram com que Gibson fosse considerado anti-semita, nazista, fascista, homofóbico, xenófobo, entre outros indesejáveis rótulos. Sem falar no rumoroso divórcio de sua esposa e nos episódios do ator envolvido com drogas e álcool.

Mas o diretor da trilogia, o australiano George Miller, negou que o motivo tenha sido esse. Segundo o site Aceshowbiz, o cineasta afirmou que não quis escalar Gibson por considerar que o astro está muito velho. Miller não se sentiu seguro para escalar Gibson, de 58 anos, para protagonizar três novos filmes da saga. Sendo assim, optou por Tom Hardy.

“Tenho muita afeição por Mel. Fiquei realmente magoado por vê-lo nesses escândalos”, comentou Miller. “Mas estamos num novo momento. Espero que Mel volte a atuar, porque é um ator maravilhoso. E acho que é um diretor incrível”.

A trilogia original de Mad Max foi toda dirigida por Miller e protagonizada por Gibson, com filmes lançados em 79, 81 e 85. A nova trilogia está sendo gerada, e o primeiro filme, Mad Max: Fury Road deve estrear nos EUA em maio de 2015.

Sem mais artigos