Timothy Day, uma assistente de direção da série de TV norte-americana Grey’s Anatomy, abriu um processo contra a emissora ABC e a Disney, que distribui a atração, acusando um funcionário de machismo e sexismo no ambiente de trabalho.

De acordo com o site Hollywood Reporter, Timothy acusa Herb Davis, diretor de fotografia da atração, de tratar com desrespeito as diretoras mulheres. O texto do processo diz ainda que Herb “usava sua posição de autoridade para subjulgar diretoras a abuso verbal, termos xulos e outras condições impróprias de trabalho”.

Se for considerado culpado, as empresas podem ter de pagar por não ter evitado a discriminação e o erro de ter recontratado o funcionário mesmo sabendo de sua conduta inapropriada. Day, que trabalhou no programa por mais de 10 anos, disse que ainda que David tinha uma excelente reputação por seu trabalho, e que a conduta inapropriada começou a partir da oitava temporada da série.

Ela descreve a “antipatia em relação a diretoras e o resto da equipe feminina que tinha cargos altos na produção”.

De acordo com ela, as diretoras Debbie Allen, Allisson Liddi Brown e Susan Vaill passaram por situações constrangedoras com ele. Ela chegou a denunciar a situação para os protudores Jeff Rafner e Rob Corn, que confirmaram a atitude machista do colega de trabalho. No entanto, Day diz que a hostilidade aumentou após a denúncia.

Grey’s Anatomy, que vai ao ar no Brasil pelo canal pago Sony, foi criado por uma mulher. Shonda Rhymes também é criadora da série Scandal, que conta com Kerry Washington como protagonista.

Sem mais artigos