Em artigo anônimo publicado no jornal britânico Daily Mail, um ex-votante do prêmio Bafta, um dos mais importantes do cinema mundial, diz que os membros da Academia Britânica de Cinema e Televisão votam em filmes que nunca viram, o que é expressamente proibido pela organização.

De acordo com as denúncias, os votantes não têm tempo de assistir a todos os filmes indicados e acabam seguindo tendências da imprensa e de bilheteria na hora de escolher seus vencedores.

Para o delator, isso prejudica os filmes independentes, que contam com menos divulgação. “Vamos ser sinceros. As regras do Bafta determinam explicitamente que você só pode votar em filmes que viu. O que faz sentido. Mas eu já fiz isso, e aposto que todo mundo também: você vota naqueles que você acha que vão ganhar.”

O texto conta ainda que presentes enviados por estúdios influenciam os votantes, e aponta casos como Judi Dench em Shakespeare Apaixonado – filme no qual ela aparece por oito minutos e pelo qual ganhou um Bafta. Atores como Tom Hanks, Kate Winslet e Emma Thompson também estão entre os queridinhos da Academia, que conta com 6,5 mil votantes.

Em 2014, Gravidade, com Sandra Bullock e George Clooney, é o filme com maior número de indicações. A direção é de Alfonso Cuarón, o mesmo de Filhos da Esperança.

Sem mais artigos