O filme Girimunho, dos brasileiros Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina, alcançou um feito histórico no 33º Festival dos Três Continentes de Nantes, no oeste da França, conquistou dois prêmios especiais do júri.

Nesta terça-feira, o diretor artístico do festival, Jerôme Baron, explicou à Agência Efe que o trabalho arrebatou aplausos unânimes do júri profissional, que concedeu “menção especial”, enquanto outro comitê formado por estudantes atribuiu o prêmio júri jovem.

A co-produção entre Brasil, Espanha e Alemanha narra por meio de uma sucessão de histórias curtas as vicissitudes de uma mulher que acaba de perder o marido em um povoado do Brasil e deve habituar-se à solidão.

O prêmio principal do festival, o Montgolfière d’Or, foi para o japonês Saudade, de Katsuya Tomita, filme que tem no elenco a participação de imigrantes brasileiros no Japão. Filmado em Kofu (Yamanashi), Saudade conta a história do personagem Takeshi que encontra emprego nos canteiros de obras, onde conhece imigrantes de vários países.

A China obteve o segundo prêmio com People Mountain People Sea, do cineasta Cai Shangjun, quem conquistou também o Leão de Prata na mostra veneziana. O prêmio do público foi para o filme israelense Policeman (Hashoter, na versão original), de Nadav Lapid, com os votos dos espectadores que assistiram as projeções.

Baron espera que os prêmios sirvam para “dar um verdadeiro impulso” à distribuição dos filmes vencedores na França, e possam ser vistos além do certame. O Festival dos Três Continentes impulsiona há mais de três décadas os cinemas da África, América Latina e Ásia.

Sem mais artigos