O filme perdido do mestre do suspense Alfred Hitchcock está agendado para estrear esta semana em Los Angeles pela primeira vez em 80 anos. A única cópia do filme The White Shadow, de 1923, foi descoberta no mês passado em um jardim de Hastings, na Nova Zelândia, ao lado de centenas de outros filmes da época que tinham sido acumulados pelo ex-projetista de cinema Jack Murtagh, que morreu em 1989.

Frank Stark, chefe da New Zealand Film Archive, disse à APP que Murtagh supostamente deveria jogar as filmagens fora, mas não conseguiu desperdiçar o material. Ele contou que nos primeiros registros do cinema, cópias eram enviadas para Nova Zelândia e isoladas, “uma vez que eram consideradas no final da vida de distribuição”.

Veja também:
Relembre as aparições de Hitchcock em seus filmes
As musas do mestre do suspense

“Ninguém tinha o impulso de arquivar naquele tempo”, ele acrescentou. “A ideia que eles tinham era que eram efêmeras… não tinha valor nenhum para ninguém”. Stark disse ainda que foi uma sorte grande que Murtagh escolheu desobedecer as regras. Assim que os rolos do filme foram encontrados, a equipe do estúdio de Peter Jackson (O Senhor dos Anéis) restaurou a cópia e conseguiu dar uma impressão de novo.

The White Shadow (A Sombra Branca, em tradução livre) conta a história das duas irmãs gêmeas Nancy e Georgina, uma boa e a outra má, interpretadas por Betty Compson. Hitchcock supostamente escreveu o filme, desenhou os cenários, editou o filme e foi assistente do diretor Graham Cutts.

“Mesmo com os olhos vendados, (os cinéfilos) perceberão uma qualidade extra e a dimensão desses filmes. Aqui estão exemplos de alguns trabalhos de gênero nos primeiros dias da linha de produção cinematográfica em estúdio”, disse Stark.

O filme será mostrado na sede da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas em Los Angeles nesta quinta-feira (22).

Sem mais artigos