Em pleno momento de neo-conservadorismo e de iniciativas homofóbicas conduzidas por certos setores políticos e religiosos do Brasil, a comunidade gay/LGBT continua avançando e se manifestando, principalmente nas redes sociais e nas artes e projetos culturais. E um dos novos projetos que vem por aí apoia-se justamente nas redes para deslanchar.

É o curta-metragem Xavier, dirigido pelo cineasta paulistano Ricky Mastro. O filme foi contemplado em 2014 com o ProAc do Governo de São Paulo para projetos de Manifestações Culturais com Temática LGBT – esse ProAc estreou em 2010 e em 2015 deve abrir sua sexta edição.

xavier6 (1)Com roteiro de Ricky em parceria com o também cineasta Eduardo Mattos, o curta narra a relação entre o garoto Xavier, de 11 anos, e seu pai Nicolas. O pai percebe que o menino sente atração por adolescentes mais velhos. Mas ao contrário do que costuma ocorrer, Nicolas aceita a sexualidade do filho e tenta apoiar o garoto.

A movimentação na página da obra no Facebook já é intensa – a produção fez uma convocação pública, pedindo que as pessoas enviassem vídeos de até 1 minuto, onde contassem suas primeiras experiências de descoberta amorosa, da reação dos pais ou de suas próprias reações diante da constatação de não serem heterossexuais. Os vídeos estão todos postados na página do filme no Face.

povo

O próximo passo é a fase de crowdfunding – o filme lançará uma campanha em 07/05, para arrecadar mais recursos na viabilização do trabalho. As gravações estão previstas para julho, e o lançamento para novembro.

Vale lembrar que personagens LGBT no cinema brasileiro atualmente são bastante presentes, mas um personagem infantil gay ainda é coisa rara por aqui (ao contrário do cinema de países como EUA, França, Suécia, Dinamarca e Argentina). No ano passado, um curta paulista abordou esse universo: foi o filme Apaixonadinho, de Alexandre Estevanato. O curta Xavier deve avançar ainda mais nesse retrato da inesquecível fase de descoberta amorosa da pré-adolescência.

Sem mais artigos