A partir desta quarta-feira (2), cineastas uruguaios e peruanos, expoentes do novo cinema em seus países, serão temas de exibições de filmes realizadas em São Paulo.


Até o dia 7 de julho, está programada uma mostra inédita sobre os mais de 30 anos de carreira do diretor e animador uruguaio Walter Tournier.

A programação reúne curtas, séries e o longa Selkirk, o verdadeiro Robinson Crusoé. Além das exibições, também ocorrerão oficinas e palestras com o próprio diretor.

Tournier, nascido em 1944, começou sua carreira na década de 1970 quando realizou seu primeiro filme, Na Selva Há Muito por Fazer.

Durante seu exílio no Peru, por conta da ditadura uruguaia, consagrou-se na técnica do stop motion e criou Nuestro Pequeño Paraíso, filme eleito em 2000 como uma das 84 melhores animações da história.

O filme Selkirk, o verdadeiro Robinson Crusoé é inédito em salas comerciais e o primeiro longa-metragem em stop motion produzido na América Latina, eleito 2º Melhor Longa Adulto pelo Júri Popular do Anima Mundi 2012.

O filme narra a história do pirata Alexsander Selkirk, abandonado em uma ilha deserta pelo seu navio em 1700, história que inspirou Daniel Dafoe a escrever seu Robinson Crusoé.

A obra é uma coprodução entre Uruguai, Chile e Argentina e foi criada com técnica mista utilizando stop motion e 3D.

Na exibição do longa, serão incluídas a audiodescrição (AD) e a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. Além destas, as sessões também serão dubladas e legendadas em português. Visando ampliar ainda mais a acessibilidade, os catálogos da mostra foram confeccionados em braile.

A mostra está em exibição na Caixa Cultural, na Praça da Sé, 111, 8º andar, com entrada gratuita. O evento é uma promoção da Caixa Cultural e da produtora de animação paulista Split Filmes.

Também nesta quarta-feira, começa o Ciclo de Cinema Documentário Peruano Nuestra Amazônia, uma comemoração ao 10º aniversário da aliança Peru-Brasil promovida pelo Consulado Geral do Peru em São Paulo.

De 3 a 24 de julho, às 19h30, serão exibidos quatro filmes no auditório do Instituto Cervantes, na Avenida Paulista, 2439.

No dia 3, será exibido La travesía de Chumpi, filme de Fernando Valdivia. No dia 10, será a vez de Esas voces que curan, de Delia Akerman e Heather Greer. Na semana seguinte, no dia 17, o filme exibido é La Frontera, de Salomón Senepo.

A última exibição do cinema peruano ocorre no dia 24 de julho com o filme Hombres del Marañón, de Raúl Gallegos.

Sem mais artigos