Morreu nesta sexta-feira 10 de julho, aos 83 anos, o ator egípcio Omar Sharif. Quem?! Pois é, muita gente não conhece o veterano, ou então se lembra dele apenas como o tiozinho de bigode que fazia aparições em filmes e minisséries de TV.

Mas nós fomos vasculhar a juventude do astro, no cinema egípcio (entre 1954 e 1962) e na fase áurea em Hollywood, na década de 60. E eis que… o cara dava um caldo!

Como podemos ver, o ator era irresistivelmente charmoso, o que lhe valeu a fama de galã de Hollywood nos anos 60 e 70

Como podemos ver, o ator era irresistivelmente charmoso, o que lhe valeu a fama de galã de Hollywood nos anos 60 e 70

Com seu perfil étnico e exótico, Sharif exalava sensualidade, numa época em que era raro a indústria de Hollywood abrigar astros vindos de países “estranhos”, localizados no Oriente Médio.

Se ainda hoje Hollywood continua com bastante resistência a atores nascidos em países de língua não-inglesa, imaginem há 50 anos. Mas Sharif derreteu tais barreiras e consagrou-se como astro internacional, esbanjando sex-appeal e seduzindo (dizem!) estrelas do cinema.

Confira na galeria todo o charme de Sharif no auge de sua carreira, com direito até a uma rápida cena de nudez!

Omar Sharif, o galã egípcio magia

Omar Sharif não era apenas um tiozinho bigodudo que fazia filmes estranhos. Ele foi também um galã de cair o queixo. Vamos relembrar o sex-appeal do astro, morto em 10 de julho de 2015
Como podemos ver, o ator era irresistivelmente charmoso, o que lhe valeu a fama de galã de Hollywood nos anos 60 e 70
Com direito a filmes onde sua sensualidade étnica era explorada devidamente
Omar Sharif nasceu na Alexandria, Egito, em 10 de abril de 1932
Seu verdadeiro nome era Michel Demitri Shalhoub, mas ele mudou de nome ao se converter ao islamismo, para se casar com a esposa, Faten Hamama, em 1955
E foi em 1954 que ele estreou no cinema, na aventura egípcia Shaytan al-Sahra
Sua carreira no cinema egípcio foi meteórica e ele atuou em 22 filmes em apenas 8 anos
Em 1962, foi parar em Hollywood, atuando na superprodução Lawrence da Arábia, de David Lean
Sharif consagrou-se internacionalmente com este filme, interpretando Sherif Ali
O personagem era um coadjuvante importante na saga (real) do protagonista, vivido por Peter O'Toole (à esquerda)
O filme foi indicado a 10 Oscars e levou 7. Entre as indicações, Melhor Ator Coadjuvante para Sharif
Mas o ator levou o Globo de Ouro de Coadjuvante pelo filme, e tornou-se um astro mundial
Seu outro grande sucesso foi Doutor Jivago, em 1965
Sharif protagonizou o dramalhão épico situado na Rússia, novamente dirigido por David Lean
O filme ganhou 5 Oscars. Novamente Sharif levou o Globo de Ouro, desta vez como Melhor Ator Dramático
Ao lado de Julie Christie, sua parceira romântica no filme
Doutor Jivago confirmou de vez o potencial de Sharif para ser um galã internacional
O tipo exótico de Sharif ajudou a alavancar sua fama
Além de tudo, ele era culto: formado em matemática e física no Cairo, estudou interpretação em Londres antes de iniciar a carreira
Seu tipo étnico fez com que atuasse em muitos filmes épicos históricos, como A Queda do Império Romano (1964)
Ou Genghis Khan (1965), onde interpretou o personagem-título
Outros épicos viriam, como Marco Polo (1965), A Noite dos Generais (1967) e...
... Causa Perdida (Che!, 1969), onde Sharif encarnou simplesmente Che Guevara
Pena que nessa época os homens não ficavam sem roupa nos filmes...
Ops! Até que ficavam, de vez em quando... eis Sharif à vontade em O Ouro de Mackenna (1969)
Foi a única cena de nudez da carreira do astro egípcio...
O filme era um faroeste histórico
Ao lado de Barbra Streisand, o ator estrelou Funny Girl, Garota Genial (1968). O musical foi um grande sucesso da época, reforçando o carisma do galã
Outra diva com quem Sharif contracenou: a italiana Sophia Loren
Nos anos 80, já cinquentão, Sharif se entregou às comédias malucas, como Top Secret! (1984)
A sequência em que seu personagem, um agente secreto, surge esmagado dentro do carro é impagável
Mas para não dizer que não falamos de flores, e a vida pessoal do ator?  Em 54, Sharif estrelou Siraa Fil-Wadi, no Egito, ao lado de Faten Hamama. A atriz largou o diretor do filme, dizem, para se casar com Sharif
Ficaram juntos até 1974 e tiveram um filho, Tarek. Separaram-se porque o ator viajava muito para filmar no mundo todo e ela não queria ir junto. Ele, por sua vez, disse que era melhor separar para não trair...
Antes de Faten, houve Soheir Ramzy, de quem, também dizem, chegou a ficar noivo. Ela largou a carreira de atriz no cinema egípcio
E até com Barbra Streisand ele teria tido um caso. Segundo o site Albawaba, o próprio Sharif declarou ter tido um romance secreto durante quatro meses com a atriz-cantora
Ingrid Bergman? Rumores dizem que Sharif namorou secretamente a atriz sueca, nos bastidores de O Rolls-Royce Amarelo (1963)
Julie Andrews não namorou Sharif, mas sempre elogiou o colega e amigo com quem contracenou em muitos filmes
Em 69, Sharif estrelou O Encontro ao lado da francesa Anouk Aimée, e declarou que se apaixonou e queria casar com ela, mas preferiu
Há quem diga que Sharif também tinha lá seus amigos do sexo masculino... será?
Aqui, Sharif com o velho amigo O'Toole, de Lawrence da Arábia, nas boogie nights dos anos 70. Aliás, sobre O'Toole também pairavam algumas suspeitas
Já o neto de Sharif, o ator Omar Sharif Jr., não deixa dúvidas: ele se assumiu publicamente como gay em 2012
Voltando ao Sharif avô: vale lembrar que o ator era meio bon-vivant e jogava bridge profissionalmente
O ator atuou em 118 obras, incluindo filmes, telefilmes e minisséries de TV
Sharif morreu vítima de ataque cardíaco, no Cairo, Egito

Galã egípcio Omar Sharif era um pedação, vem ver o moço na fase áurea

Sem mais artigos