Jack - O Matador de Gigantes

Jack (Nicholas Hoult) em pôster de Jack - O Matador de Gigantes

Jack: O Matador de Gigantes deve render um prejuízo de até US$ 140 milhões à Warner Bros. e à Legendary Pictures, parceira do que ajudou a financiar o filme, se tornando o recorde negativo da história do estúdio.

O fracasso é tão notório que já vem sendo comparado aos casos de Battleship, que fez a Universal perder US$ 80 milhões, e a John Carter, que levou US$ 200 milhões da Disney e provocou a demissão do presidente daquele estúdio. 

 

Dirigido por Bryan Singer, o mesmo de X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, Jack: O Matador de Gigantes teve um orçamento de US$ 195 milhões, e mais de US$ 100 milhões foram investidos em sua divulgação.

Mas o valor arrecadado até agora, quatro semanas após a estreia, mal cobriu os custos de produção. Nos Estados Unidos, o filme conseguiu apenas US$ 65 milhões, que, somados aos quase US$ 140 milhões dos mercados internacionais, fecham raspando a conta.

Segundo especialistas, a Warner esperava repetir as boas campanhas de Fúria de Titãs 1 e 2, mas fracassou ao enfrentar as pesadas concorrências de Oz: Mágico e Poderoso, que estreou uma semana depois e já conquistou mais de US$ 400 milhões, e de G.I. Joe: Retaliação, que foi lançado no último final de semana – justamente quando Jack chegou a diversos países (incluindo o Brasil) – e teve a melhor estreia mundial do ano até agora.


Jack: O Matador de Gigantes pode dar prejuízo de até US$ 140 milhões à Warner

Sem mais artigos