Após oito anos das filmagens de Mar Adentro, o ator Javier Bardem voltará a rodar com um diretor espanhol em Alacrán Enamorado, de Santiago Zannou, um filme baseado no romance de seu irmão Carlos Bardem e no qual interpretará um ideólogo neonazista.

Em declarações à Agência Efe, Santiago Zannou, diretor de, entre outros, O Truque do Manco, explica que o ganhador do Oscar por Onde os Fracos Não Têm Vez interpretará um papel secundário e que não será exatamente um vilão como no novo filme da saga James Bond, dirigido por Sam Mendes.

“Em meu filme, ele será mais realista e não aparecerá como um vilão maléfico que deseja acabar com o mundo. É uma dessas pessoas que verdadeiramente dão medo por ter um tipo de ideologia que separa às pessoas, que provoca violência. Pelo bem de todos, é melhor eu não fazer comparações”, explica o diretor.

Bardem não volta estritamente ao cinema espanhol, já que Vicky Cristina Barcelona e Biutiful foram produzidos e rodados na Espanha. Trata-se de seu reencontro com um diretor espanhol, algo que não acontecia desde Mar Adentro, de Alejandro Amenábar.

A história de Alacrán Enamorado é como um Romeu e Julieta atualizado entre Alyssa, uma sedutora imigrante latino-americana que deixou uma rede de prostituição infantil para ganhar a vida limpando casas, e Julián, conhecido como “Escorpião” (Alacrán) em um grupo neonazista.

Segundo Álvaro Longoria, produtor do filme, o protagonista será interpretado por Álex González, enquanto Miguel Ángel Silvestre encarnará seu “amigo mau”.

Carlos Bardem, autor da trama original, ambientou o filme no mundo do boxe através do personagem Carlomonte, um experiente treinador que será vivido pelo ex-boxeador Rude Hovic, enquanto Judith Diakhate aparece como a menina do filme.

Apesar de abordar o esporte na trama, “Alacrán Enamorado” não apresentara Javier Bardem em um ringue de boxe. “Não é um boxeador. O boxeador é Carlos, que pratica o esporte por 15 anos”, conta o diretor.

“O filme, assim como o livro, aborda a raiva que existe dentro das pessoas e, às vezes, possuem uma razão. Essa razão, infelizmente, se transforma em violência, mas também pode ser canalizada e transformada em energia para que as coisas mudem”, explica Zannou, que começará a rodar o filme a partir do dia 7 de maio, em Madri.

Sem mais artigos