50 Tons de Cinza é o best seller que todos os diretores querem adaptar para o cinema. Já falamos aqui que Gus van Sant, de Milk, Paranoid Park e Last Days – dentre outros – estava tão a fim de tanto de dirigir o filme, este ainda sem diretor oficial, que chegou a gravar uma cena de sexo do livro para impressionar os produtores.

Apesar do esforço do americano, segundo informações do site The Hollywood Reporter, o mais forte, no momento, para comandar a adaptação é o inglês Joe Wright, responsável por longas como Desejo e Reparação, Orgulho e Preconceito e, mais recentemente, Anna Karenina.

O diretor tem um bom relacionamento com a Focus e a Universal, empresas que adquiriam os direitos do livro da autora E .L. James. Outros nomes de diretores ainda vêm sendo citados, a exemplo de Bennett Miller e Patty Jenkins.

Com três edições, só o primeiro livro de Cinquenta Tons de Cinza vendeu mais de 10 milhões de unidades nas primeiras seis semanas. Fenômeno mundial, a publicação fala do romance da jovem Anastasia Steele com Christian Grey, magnata nada ortodoxo sexualmente. O fenômeno de vendas da trilogia é tamanho que a venda de itens sadomasoquistas tem aumentado nos sex shops pelo mundo.

Joe Wright, diretor de Anna Karenina, é cotado para comandar 50 Tons de Cinza

Sem mais artigos