Johnny Depp está irredutível: sem Gore Verbinski ele não aceita participar de O Cavaleiro Solitário. Só que o grande dilema da Disney, que queria substituir o diretor por uma opção mais barata, é que sem Depp não há O Cavaleiro Solitário.

Os problemas com o filme, que teria Armie Hammer no papel título e Depp como seu fiel companheiro Tonto, começaram quando a Disney vetou o projeto inicial porque ele custaria US$ 275 milhões.

O estúdio se recusa a gastar mais de US$ 200 milhões, valor que ainda considera alto, mas que estaria disposta a bancar por confiança no potencial do protagonista de sua mega bem sucedida franquia Piratas do Caribe.

Verbinski, que já dirigiu Depp em Piratas do Caribe – A Maldição do Pérola Negra e na animação Rango, se uniu então ao produtor Jerry Bruckheimer para tentar reduzir o orçamento. Porém eles estacionaram nos US$ 220 milhões, já que o diretor diz que não conseguiria fazer mais cortes sem prejudicar o projeto.

Mas o presidente dos estúdios Disney, Rich Ross – que chegou a dizer que o diretor era um dos itens mais caros e podia ser substituído – continua achando muito dinheiro e o acordo ainda não saiu. Resta saber agora qual o peso do ultimato de Depp, atualmente o segundo ator mais bem pago do mundo (atrás apenas de Leonardo DiCaprio).


Sem mais artigos