Jonah Hill, que interpreta o viciado em drogas que trabalha no mercado de ações e melhor amigo de Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio), Donnie Azoff, no novo filme de Martin Scorsese, O Lobo de Wall Street, disse que odeia o seu personagem.

Em entrevista ao Yahoo Movies, Hill disse: “Dizem que você não pode julgar o seu personagem e eu tentei ao máximo, mas eu não conseguia encontrar nada que eu gostasse em Donnie”.

“Eu não suporto o jeito que Donnie trata as pessoas. Foi o que eu achei mais difícil de lidar.”

O ator também falou sobre a dificuldade que ele enfrentou em uma cena em particular.

“Há uma cena com um peixinho dourado na qual eu jogo um cigarro aceso num menino, o faço chorar, demito ele e como seu peixinho. É realmente degradante.”

“Indo pra casa, eu pensava ‘meu Deus, o que eu fiz hoje?’ Eu me sentia muito mal”.

Hill teve que convencer Scorsese que ele era o ator certo para esse papel e fez seu primeiro teste em seis anos.

“Eu tive a chance de encontrar DiCaprio antes para dar a ele um argumento comovente o bastante do porquê que eu merecia esse papel e ele me apoiou bastante”, acrescentou Hill.

Em entrevista à revista Variety, Hill disse que se sentia muito agradecido pela oportunidade de trabalhar com Scorsese e garantiu que foi inesquecível. “Foi a maior experiência da minha vida”.

O ator já havia confessado que deixou um bilhete ao cineasta. “Quando terminamos o filme escrevi-lhe um bilhete e trocamos presentes. Disse-lhe o quão agradecido estava por ter sido incluído no filme e escrevi ‘Bem, o resto da minha vida vão ser noddles e ketchup’, que é a última frase de Os Bons Companheiros (filme dirigido por Scorsese).”

O Lobo de Wall Street estreia no Brasil no dia 24 de janeiro e concorre em duas categorias no Globo de Ouro, além de ser um dos favoritos ao Oscar.  

 

Sem mais artigos