O produtor de cinema Luiz Carlos Barreto, pai dos diretores Bruno e Fábio Barreto, criticou duramente a Ancine. “A Ancine engessa a produção de filmes e deixa correr solto o mercado distribuir que assassina muitos filmes brasileiros”, disse ao jornal O Globo.

Para ele, a Ancine – Agência Nacional do Cinema – dificulta a exibição de filmes nacionais. Barreto é diretor de filmes como O Que É Isso, Companheiro? e O Quatrilho. Ele não é o único a reclamar da distribuição de filmes no Brasil. Em entrevista ao Virgula Diversão, o ator Vinicius de Oliveira, de Central do Brasil, se queixou de ter participado de vários filmes premiados em festivais, mas presos em distribuidoras.

“Quem faz cinema já entendeu que a web é um super caminho pra nos livrarmos da exploração que são as salas de cinema, o alto custo da distribuição e tirar nossos filmes da gaveta”, disse. Dois filmes com participação dele estão no momento “engavetados”: Se Deus Vier que Venha Armado, de Luis Dantas, do qual ele é protagonista, e A Hora e a vez de Augusto Matraga, dirigido por Vinicius Coimbra e premiado no Festival de Cinema do Rio em 2012, em que faz participação.

Luiz Carlos Barreto critica Ancine e diz que agência "engessa" o cinema brasileiro

Sem mais artigos