Como todo mundo já sabe, estreia nesta quinta-feira (12) no Brasil o aguardado filme 50 Tons de Cinza, baseado no best-seller homônimo de E.L. James. E também é de conhecimento geral o território no qual a obra transita: o fetichismo sexual. Livro e filme contam o envolvimento entre uma estudante, Anastasia Steele, e um poderoso empresário, Christian Grey. A relação entre eles é sadomasoquista, com a moça virando objeto do magnata, submissa e escravizada.

Mas desde quando isso é novidade no cinema? A sétima arte sempre gostou de retratar relações amorosas-sexuais com tintas fetichistas, perigosas, bizarras e chocantes. Vários filmes viraram clássicos, apoiados muitas vezes no escândalo provocado, em outras turbinados pela qualidade artística.

Se você duvida, tem memória curta ou acha que 50 Tons de Cinza é a grande inovação no gênero, prepare o fôlego, esqueça os pudores e mergulhe na galeria a seguir.

Sem mais artigos