O cineasta americano Mel Gibson assegurou neste sábado no festival de cinema de Karlovy Vary, na República Tcheca que lhe outorgou um prêmio de reconhecimento a toda sua carreira, que está desde 2006 desculpando quem o critica.

“Tenho que enfrentar críticas todo o momento. Para economizar tempo, quero agora pedir desculpas à audiência”, brincou com os presentes a um colóquio em um à parte do evento.

Em 2006, o ator culpou os judeus por “todas as guerras do mundo” quando lhe detiveram por dirigir bêbado e alguns círculos judeus o acusaram de fazer uma má imagem deste povo em seu filme “A Paixão de Cristo” (2004).

Além disso, suas posturas católicas conservadoras também foram objeto de crítica.

Gibson lembrou que por seu filme “Coração Valente”, que ganhou cinco Oscar, o atacaram “porque tiranizava os animais”, embora tenha explicado que na filmagem foram usados animais mecânicos.

“Algumas pessoas perdoam e nós perdoamos. Isso espero. Acho que Deus perdoa. Porque se Ele não nos perdoa, estamos fritos”, declarou Gibson.

Sem mais artigos