Michael Fassbender, o Erik Lehnsherr de X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, experimenta uma nova faceta no cinema: a de esconder o rosto por completo, usando uma máscara. A princípio, a estratégia de cobrir o galã não parece das mais sagazes, mas é.

Frank, o longa em questão, fala de música, amizade, excentricidade – tudo isso pelo viés do absurdo, o que é ótimo. O filme já passou por festivais americanos e europeus, recebendo críticas favoráveis na grande maioria dos casos. Estreou em algumas cidades pelo mundo, mas ainda não possui divulgada a data em que chegará às salas brasileiras.

A história narra a entrada de Jon Ronson (Domhnall Gleeson, o Bill Weasley de Harry Potter) na banda conduzida por Frank, interpretado por Fassbender. Na formação do grupo figura ainda a tocadora de teremim Clara, papel de Maggie Gyllenhaal (O Cavaleiro das Trevas).

Frank é dirigido por Lenny Abrahamson e se baseia na experiência pessoal de Jon Ronson, que trabalhou nos anos 80 ao lado do músico e humorista inglês Frank Sidebottom (foto abaixo), alterego de Chris Sievey. Sidebottom comandou a banda The Freshies e participou, na Inglaterra, de vários programas de televisão.

Ronson adaptou sua história junto ao roteirista Peter Straughan. A trama, no entanto, se passa em tempos atuais e inclui, por exemplo, o uso do Twitter (Frank tuíta à beça).

Veja trailers de Frank:

Frank Sidebottom, o real, em Christmas is Really Fantastic:

Sem mais artigos