Morreu na noite do sábado (19) o ator James Garner. Ele tinha 86 anos e faleceu em sua casa, em Los Angeles. Segundo o jornal O Globo, Garner morreu de causas naturais. Ele havia sofrido um derrame em 2008.

Garner era um dos maiores símbolos da “velha guarda” de Hollywood, e foi um dos primeiros atores a conseguir passar da TV para o cinema.

Ele iniciou a carreira nos anos 50, em séries televisivas – e especializou-se em seriados de faroeste. Na mesma década passou a atuar em filmes, mas sem deixar a TV de lado – e seu grande sucesso foi a série (também faroeste) Maverick, exibida de 1957 a 1962.

Na década de 60 esteve em filmes importantes como Infâmia (1961, de George Cukor, onde interpreta o noivo de uma das professoras acusada de ser lésbica pela população de uma cidade) e Grand Prix (1966, de John Frankenheimer, no qual vive um corredor automobilístico).

Nos anos 80 destacou-se na comédia musical Vítor ou Vitória (1982, de Blake Edwards), encarnando o gângster que se apaixona pela personagem de Julie Andrews, pensando que ela é travesti.

Nos 90, esteve em Maverick (1994), filme que homenageou a famosa série, atuando ao lado de Mel Gibson e Jodie Foster.

Continuou atuando sem pausas, totalizando 95 aparições em filmes, telefilmes e seriados de TV. Seu último filme de destaque foi Diário de uma Paixão (2004, de Nick Cassavetes).

Foi indicado ao Oscar em 1986, pelo filme O Romance de Murphy, e ganhou o Emmy (o Oscar da TV) em 1977, pela série Arquivo Confidencial.

Sem mais artigos