Alex Hausner, stalker do âncora da CNN Anderson Cooper, declarou-se culpado das acusações de perseguir o jornalista por mais de oito anos nesta semana.

O depoimento dado na Suprema Corte de Manhattan, em Nova York, mostra a fixação dele por Cooper. “Eu morreria por ele”, disse em certo momento. “Acho uma pena que ele se sinta assim a meu respeito. Ele nunca esteve em perigo”, lamentou.

Hausner perseguiu Cooper entre 2007 e 20013, e chegou a servir nove meses de prisão no passado. Nesta semana, o juiz Charles Solomon determinou uma ordem de restrição que impede que se aproxime de Cooper ou seu namorado, Benjamin Maisani.

Alex sofre de esquizofrenia e irá buscar tratamento como parte de sua pena. Ao ser indagado por um jornalista se amava o apresentador, Hausner respondeu que sim. Anteriormente, ele tinha dito à Justiça norte-americana que encontrava Cooper “por acaso”.

Sem mais artigos