Lançado no último mês de setembro após cinco anos de hiato, o livro Morte Súbita, o último da famosa escritora britânica J.K. Rowling – autora da saga Harry Potter -, será transformado em minissérie nas telas da emissora BBC.

“A escritora colaborará de maneira muito estreita com o projeto”, anunciou na segunda-feira (2) a emissora britânica, que também ressaltou que essa adaptação deve ir ao ar já em 2014.

“O número e a duração dos episódios só serão decididos quando o processo criativo for iniciado formalmente”, completou a emissora pública.

“Estou emocionada com essa decisão. Sempre pensei que essa trama tinha que ser adaptada e que encaixava bem na televisão. Acho que a BBC é a cadeia adequada”, apontou a escritora, de 47 anos.

O novo livro de J.K. Rowling, que esmiúça um conflito na fictícia Pagford, um povoado situado no sudoeste da Inglaterra, ganha forma a partir da morte de um vereador local, cujo posto deve ser ocupado com certa urgência.

O livro de Rowling, tido como um best-seller no Reino Unido, Estados Unidos, Nova Zelândia, Irlanda e Austrália, será lançado em espanhol de forma simultânea na Espanha e América Latina a partir do próximo dia 19 de dezembro com uma tiragem de 300 mil exemplares.

Danny Cohen, o diretor que ficará responsável pela adaptação televisiva, considerou o projeto como “apaixonante”. “As narrações de J.K. Rowling são incrivelmente populares. Estou encantado de poder colaborar com ela no projeto”, assinalou.

Segundo o produtor da BBC Ben Stephenson, “o projeto ressalta a capacidade da televisão moderna de atrair os melhores talentos do mundo e as ideias mais criativas e excitantes”.

“É um livro tão rico que, através do humor e o comentário social, é capaz de entreter e também mostrar alguns aspectos profundos do país onde vivemos”, assinalou o produtor.

Além da distinção de membro da Ordem do Império Britânico por sua dedicação à literatura infantil, J.K. Rowling recebeu inúmeros outros prêmios pela famosa saga de Harry Potter, entre eles o Prêmio Príncipe de Astúrias da Concórdia, a Légion d’Honneur da França e o Prêmio Hans Christian Andenrsen, entregue na Dinamarca.

Sem mais artigos