Marcos Mion e seus "malucos favoritos"

Reprodução/Twitter Marcos Mion e seus “malucos favoritos”

100 pessoas numa casa que acomoda confortavelmente apenas quatro. Será que os reality shows estão indo longe demais? Não sabemos, mas essa é a premissa de A Casa, programa que teve o seu primeiro episódio exibido nesta terça-feira (27), na Record.

Ainda não deu tempo do show de horror começar, mas pelo jeito não vai demorar muito. A comida e os itens de higiene pessoal da casa também servem apenas – idealmente – quatro pessoas. Tudo o que os participantes quiserem a mais, eles precisam comprar e os valores são descontados do prêmio máximo final (um milhão de reais). No entanto, uma refeição para quatro pessoas custa R$ 2,000, então não é difícil imaginar que o prêmio estará no negativo depois de três meses de programa.

Só Love

Reprodução/Twitter Só Love

Comandando esse sadismo televisionado duas vezes por semana (às terças e quintas) está Marcos Mion, que é o apresentador de reality show que precisávamos, mas não sabíamos. Muito diferente dos outros hosts da emissora, como Roberto Justus, do Power Couple, Mion usa ironia, tira sarro do perrengue vivido pelos participantes e conversa com o telespectador, como se fosse um Frank Underwood e a casa fosse a sua Casa Branca.

Três participantes desistiram antes mesmo de completar 24 horas dentro da casa. Não dá para culpa-las.

Desistências acontecem

Reprodução/Twitter Desistências acontecem

Desistências acontecem

Reprodução/Twitter Desistências acontecem

A maior dificuldade por enquanto é tentar entender quem é quem, afinal são 100 participantes e os microfones muitas vezes não chegam a todos. A edição do primeiro programa, no entanto, foi esforçada na tentativa de criar alguns personagens e por enquanto o clima de amizade predomina. Porém, as “cenas dos próximos capítulos” já mostraram que o pau vai quebrar. E é isso que o telespectador mais quer em um reality show desse tipo.

 

 

 

Sem mais artigos