O Oscar 2015, cuja 87ª cerimônia de premiação ocorre em fevereiro, já está deixando em polvorosa os possíveis candidatos e vencedores. Entre eles, cerca de 80 países do mundo, que devem, cada qual, escolher o filme que deve ser indicado para, talvez, concorrer ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

A Palestina escolheu Eyes of a Thief, segundo longa de Najwa Najjar. O filme é um suspense psicológico estrelado pelo ator egípcio Khaled Abol Naga. No ano passado a Palestina indicou Omar, que conseguiu ser indicado, mas perdeu para A Grande Beleza (Itália).

A Espanha optou por Living is Easy With Eyes Closed (frase obviamente retirada da música Strawberry Fields Forever, dos Beatles), de David Trueba. A obra já está turbinada pelo prêmio de Melhor Filme no Goya Awards deste ano – o Oscar da Espanha.

O protagonista é um professor de inglês que sonha em conhecer John Lennon, e usa as letras das canções dos Beatles para ensinar inglês na Espanha dos anos 60. O irmão do diretor David, Fernando Trueba, venceu o Oscar de Filme Estrangeiro em 1994, por Sedução.

Enquanto isso, as Filipinas escolheram o drama épico Norte, the End of History, dirigido por Lav Diaz e com quatro horas de duração. Trata-se de uma livre adaptação do clássico livro Crime e Castigo, de Dostoiévsky, já fartamente adaptado em filmes, seriados, séries e afins – inclusive no Brasil.

Por falar em Brasil, continua a torcida para que o país consiga ser indicado. O escolhido brasileiro foi Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro, que narra a história de um adolescente cego que se apaixona por um colega de escola.

O anúncio dos indicados ao Oscar sai em janeiro de 2015. Para o prêmio de Filme Estrangeiro, costumam ser cinco indicados.

Sem mais artigos