Não bastassem os vários processos enfrentados por J. K. Rowling, movidos por autores que reclamavam de plágio (o mais recente foi encerrado no início deste ano), agora chegou a vez do parque temático do bruxo, que completou um ano em junho deste ano, encarar problemas com a lei.

O problema está em produtos comercializados na loja do Wizarding World of Harry Potter, em Orlando, na Flórida. Segundo a empresa P22 Type Foundry, camisetas, chapéus e bolsas usam uma fonte que pertence a eles, sem permissão.

A ação foi ajuizada na última quinta (7), em uma corte federal de Nova York. O valor pedido pela P22, para cobrir supostos prejuízos, é de US$ 15 milhão.

CLIQUE AQUI PARA LER UMA CRÍTICA SOBRE HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE PARTE 2 E VEJA TAMBÉM UM ÁLBUM COM 250 FOTOS DO FILME E IMAGENS DA PREMIERE MUNDIAL, EM LONDRES 


Sem mais artigos