Peter Jackson é um Whovian convicto. Fã desde criança da série britânica Doctor Who, que completa 50 anos em 2013, ele garantiu à revista Entertainment Weekly que quer tanto dirigir um episódio que abre mão até de receber dinheiro para isso.

Mas isso não significa que ele aceite trabalhar totalmente de graça. “Eles nem precisam me pagar. Mas eu estou de olho em um daqueles novos Daleks dourados. Eles devem ter algum de sobra”, sugeriu o diretor, que já tem em casa dois antigos modelos do principal inimigo do protagonista, usados em temporadas anteriores.

Atualmente na sétima temporada de sua segunda fase, Doctor Who volta a ter episódios inéditos a partir do próximo dia 31.

 

E o desejo de Jackson é tão sério que ele, inclusive, já falou sobre o assunto com o produtor e principal roteirista da série, Steven Moffat (o mesmo de Sherlock), quando os dois se encontraram no final do ano passado.

Já Moffat não foi muito claro quando a EW perguntou se o orçamento do programa permitiria a participação de alguém do porte do diretor das trilogias Senhor dos Anéis e O Hobbit.

“Vocês nunca vão arrancar qualquer informação desse tipo de mim!”, brincou, para depois acrescentar: “teoricamente nós estamos abertos a qualquer coisa, desde que tenhamos uma boa história”.

Série

Lançada em 1963 pela BBC, Doctor Who tem como protagonista o último Lorde do Tempo, único a sobreviver a uma guerra entre seu povo e os Daleks. Com mais de 900 anos de idade, o personagem viaja através do tempo e do espaço a bordo da TARDIS, uma nave disfarçada de cabine policial inglesa da década de 50, quase sempre acompanhado por amigos humanos, já que a Terra é seu planeta favorito.

Com o poder de se regenerar caso seja mortalmente ferido, o Doctor – que nunca revela seu verdadeiro nome e salva planetas inteiros mesmo sendo avesso à violência e se recusando a usar armas – já foi interpretado por onze diferentes atores, com Matt Smith ocupando o papel desde 2010.

A primeira fase da série durou 26 temporadas e foi ao ar entre 1963 e 1989. Em 1996, um filme para TV não obteve sucesso e o personagem só voltou a ter novas aventuras produzidas em 2005. Christopher Eccleston (Thor: O Lado Sombrio) ocupou o papel por apenas uma temporada, dando lugar a David Tennant, que encarnou o Décimo Doctor por três temporadas, seguido por Smith.


Sem mais artigos