Conhecido por seus filmes de conteúdo explícito como No Skin Off My Ass, o diretor Bruce LaBruce surpreende novamente com seu novo longa-metragem: Gerontophilia é uma comédia romântica. Mas não sem um elemento transgressor, claro – o filme retrata o romance entre um garoto de 18 anos e um senhor de 81.

Ao descobrir sua atração por homens mais velhos, Lake (Pier Gabriel Lajoie) consegue um emprego em uma casa de idosos. Lá, se envolve com um senhor chamado Peabody (Walter Borden) – além de descobrir que a instituição “seda” seus pacientes com altas doses de medicamentos, a fim de reduzir sua disposição. Cada vez mais envolvidos, os dois resolvem partir em uma viagem de carro pelo Canadá.

Palavra-título do filme, Gerontofilia designa o fetiche – e amor – por idosos. “Quanto mais velho e próximo da morte estiver o objeto de desejo, maior a atração do gerontófilo”, explica o diretor Bruce LaBruce. “Também tem a ver com o amor pelos idosos, não apenas a atração. A maior parte dos fetiches tem em si o amor e respeito pelo objeto de desejo”, afirma.

Com orçamento de US$ 2 milhões, o maior de toda a carreira de Bruce – conhecido por seu estilo underground de fazer cinema -,Gerontophilia foi aplaudido de pé no Festival de Veneza. “É um tipo de provocação o fato de eu ter feito um filme mainstream”, reflete. Exibido no festival Mix Brasil em 2013, o filme entra em circuito comercial nos EUA em 2014 – não há previsão para o Brasil.

Neste ano, Bruce LaBruce será presidente do júri do prêmio de cinema gay no Festival de Cinema de Cannes, na França.

Assista: 

Sem mais artigos