A cineasta Renata Pinheiro exibirá seu primeiro longa-metragem, intitulado “Amor, Plástico e Barulho”, na capital portuguesa, onde competirá no festival de cinema independente “IndieLisboa”.

“Conto a história de duas mulheres artistas de música brega, gênero musical muito popular no país, que vivem em um ambiente sórdido do Brasil atual”, explicou a diretora nesta sexta-feira à Agência Efe.

O filme, codirigido com Sergio Oliveira e que concorre na seção internacional do festival português, compara a vida de uma jovem menina que deseja ser uma cantora de sucesso a de uma artista que já vivenciou o auge da carreira e, agora, passa por um momento de decadência.

Em paralelo à trajetória dessas duas artistas, o filme procurar ambientar o espectador na atual Recife, que vivencia uma renovação arquitetônica devido ao desenvolvimento econômico do país e que, ao mesmo tempo, acaba pouco a pouco com o passado da cidade.

“A vontade do Brasil por ser um país de primeiro mundo é uma busca vazia porque, por mais que queira reconstruir tudo, a realidade é que ainda há muita pobreza”, assegurou Renata ao falar sobre a contradição presente no seio da sociedade e, por consequência, no filme.

Desta forma, o longa-metragem mistura amor, música e sucesso para defender que, se a fama é efêmera, o esquecimento eterno.

Embora esteja em seu primeiro longa, muito elogiado no último Festival de Cinema de Brasília, Renata Pinheiro já participou do “IndieLisboa” em 2012, quando ganhou uma menção especial do júri com o curta-metragem “Praça Walt Disney”, um filme que também foi premiado em outros festivais internacionais.

O festival “IndieLisboa”, o mais importante do cinema independente em Portugal, termina no próximo dia 4 sua 11º edição, que, por sinal, presta uma homenagem ao 40º aniversário da Revolução dos Cravos. 

Sem mais artigos