Tom Hanks gravou, recentemente, um dos filmes mais heterodoxos de sua carreira, A Viagem (Cloud Atlas), em que interpreta seis personagens de etnias, lugares e épocas diferentes. Em entrevista à agência Associated Press, o ator falou sobre o projeto e revelou estar “entediado” com filmes previsíveis.

“Há pessoas que vão dizer, ‘Quem eles pensam que são para fazer um filme como esse? Foi o que aconteceu com todos os grandes filmes. Eles disseram a mesma coisa de O Gabinete do Dr. Caligari, na época do cinema mudo”, opinou o ator.

“Eu acho que o público anseia por ser surpreendido. Eu fico entediado quando entro em uma sala de cinema esperando A, B e C, e o filme me entrega A, B e C. Eu quero ver algo totalmente novo, que eu não anteciparia a milhões de milhas de distância. E, meu Deus, isso acontece antes de as palavras A Viagem aparecerem na tela”, opinou.

O filme, baseado no romance homônimo de David Mitchell, acompanha histórias de muitos personagens, de diferentes continentes e épocas. Ele mostra como passado, presente e futuro estão conectados, de forma que um pequeno ato no presente pode resultar em uma revolução séculos depois. O elenco conta, ainda, com Halle Bery, Jim Broadbent, Hugo Weaving, Jim Sturgess, Susan Sarandon, Hugh Grant, entre outros.

A Viagem, dirigido por Andy e Lana Wachowski (Matrix) e Tom Tykwer (Corra, Lola, Corra), estreia nos Estados Unidos na próxima sexta-feira (26). A estreia brasileira acontece no dia 25 de dezembro deste ano.

Sem mais artigos