A TV Cultura de São Paulo, pilotada pela Fundação Padre Anchieta e que é uma concessão governamental (ou seja, não é uma emissora comercial, portanto não depende de anunciantes e nem de altos índices de Ibope – ouviram, certos “comentaristas de Facebook”???), está em crise, mais uma vez – infelizmente.

Nos últimos tempos, notícias de demissões em massa de seus funcionários e de encerramento de diversos programas da grade alarmaram o público. A situação levou à constatação de que a TV Cultura pode simplesmente desaparecer.

Para impedir isso, nasceu a campanha #EuQueroaCulturaViva, capitaneada por, entre outros, Luciano Amaral – o ator e apresentador que foi uma das “caras” da Cultura, estrelando os seriados Mundo da Lua e Castelo Rá-Tim-Bum nos anos 90.

Luciano é a principal voz de um vídeo que surgiu na internet no domingo (09/08), trazendo vários ex-apresentadores da TV Cultura denunciando o término de diversos programas da emissora. No total, 16 programas saíram do ar nos últimos anos, como Vitrine, Cocoricó, Zoom, Letra Livre, Cartão Verde

No vídeo, os apresentadores pedem que o povo entre na campanha e assine uma petição online, endereçada ao Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ao Presidente da TV Cultura, Marcos Mendonça, e ao conselho curador do canal, pedindo que a emissora seja salva antes que seja tarde. A petição tem, até o momento (11/08), 70 mil assinaturas.

“Somos brasileiros e brasileiras, somos paulistas, somos de várias gerações que na infância, na adolescência e na idade adulta tivemos a oportunidade de ter acesso a uma programação – de rádios e de televisão pública – orientada pela promoção da cultura nacional e local. Conteúdos que ao longo de décadas foram produzidos por equipes formadas por profissionais (jornalistas, radialistas, artistas, técnicos) que buscavam a excelência. O resultado deste trabalho foi reconhecido nacionalmente e internacionalmente, com muitos prêmios e com uma audiência cativa que consolidaram historicamente as rádios e a TV Cultura de São Paulo como uma alternativa aos meios de comunicação comerciais”, diz o texto da petição.

“Contudo, nos últimos anos, a TV e as rádios Cultura estão passando por um processo de desmonte e terceirização da programação (…) Há a ameaça de acabar com o Viola Minha Viola, líder de audiência da emissora, e com o Provocações (…) Esse processo vem acompanhado de demissões em massa e de precarização das relações de trabalho, tanto na TV quanto nas rádios (…) o mais recente ataque à estrutura da TV foi a retirada do seu sinal das antenas parabólicas, excluindo 30 milhões de pessoas do acesso ao canal”, continua o texto.

Apesar do clima de tensão, a TV Cultura declarou em julho a alguns veículos que as recentes demissões ocorreram por causa do atual quadro econômico do Brasil, e que mesmo com os cortes a TV Cultura não sofrerá alterações na sua programação, e que todos os programas serão mantidos. O Virgula espera que isso realmente seja real, e que essa emissora que emocionou e criou tanta gente possa sobreviver à crise.

Se você também pensa assim, assine a petição!

Sem mais artigos