Como seria a prometida e tão aguardada versão cinematográfica de Stanley Kubrick para a história de Napoleão Bonaparte? E o que teria feito Alfred Hitchcock com Kaleidoscope? Morreremos com essa frustração. Partilhando desse sentimento, o web designer Fernando Reza resolveu criar pôsteres destas produções para sua série The Ones That Got Away (“Aqueles que se Foram”, em tradução livre).

O artista imaginou o que teria acontecido se esses projetos grandiosos e inacabados destas lendas do cinema tivessem saído do papel. Ele completou a série com os anunciados-mas-infelizmente-nunca-realizados Nostromo de David Lean (Doutor Jivago) e Dom Quixote de Orson Welles (Cidadão Kane).

“Há uma série de projetos lá fora, que atualmente estão no limbo, como Megalopolis, de Francis Ford Coppola (O Poderoso Chefão), e Ronnie Rocket, de David Lynch (Cidade dos Sonhos), mas eu não quis incluí-los na esperança de serem realizados um dia”, disse Reza ao site SlashFilm.

“Você pode ver uma progressão nos longas de Kubrick e Welles e a omissão desses filmes realmente deixa um rombo não apenas nas suas carreiras, mas no cinema como um todo”, completou.

Kubrick era declaradamente fã da história de Napoleão Bonaparte e sua maior frustração foi não ter feito o filme sobre o imperador francês. O projeto foi abandonado no final dos anos 60 pelos estúdios MGM devido, entre outras razões, ao elevado custo. O cunhado do diretor, Jan Harlan, chegou a dizer ao Independent durante a publicação de uma edição limitada de dez tomos de Napoleon: The Greatest Movie Never Made, que Stanley ficou muito infeliz ao saber do corte da produção.

Assim como o diretor de 2001: Uma Odisséia no Espaço por Napoleão, Orson Welles era obcecado pelo romance Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, mas nunca conseguiu terminar o seu filme. Após mais de 10 anos de problemáticas filmagens, o projeto permaneceu inacabado. No filme, os personagens de Dom Quixote e Sancho viajam pela Espanha, revelando as pessoas e seus costumes, destacando a clausura e as corridas de touros que tanto apaixonavam Welles, sem deixar de lado tradições populares como festas de mouros e cristãos, ou procissões religiosas.

Outra frustração foi a de David Lean, responsável pelo clássico Doutor Jivago. O cineasta morreu em 1991 sem realizar o sonho de levar para as telonas o romance Nostromo, de Joseph Conrad (1904), situado na fictícia república sul-americana de Costaguana. Ele ia começar as filmagens, com Steven Spielberg produzindo para a Warner Bros, mas morreu poucas semanas antes da data marcada. Marlon Brando, Paul Scofield, Peter O’Toole, Isabella Rossellini e Dennis Quaid estavam escalados para o elenco.

Já em Kaleidoscope, Hitchcock iria retratar a vida de um serial killer e definiu na época o projeto como “o filme mais violento já feito”. Os vários assassinatos seriam filmados de forma inovadora para aquele período, com luz natural. O ator Michael Caine chegou a ser sondado para interpretar o papel do temível assassino.

Sem mais artigos