Jornalista tem sido alvo de defensores de Dilma nas redes sociais

Renato Velasco/TV Globo/Divulgação Jornalista tem sido alvo de defensores de Dilma nas redes sociais

JEFF BENÍCIO

“Manipulador, seja imparcial.”, “Um jornal todo pautado no golpe.”, “Vou ver você pedindo desculpa na bancada do JN.”

Esses comentários são uma amostra das manifestações de defensores da presidente Dilma Rousseff deixadas no perfil de William Bonner no Instagram, onde o apresentador do Jornal Nacional possui 1,5 milhão de seguidores.

As críticas concentram-se numa postagem feita no último dia 19, na qual o âncora reproduz parte de um texto lido por ele na TV em resposta à acusação de falta de imparcialidade da Globo na divulgação das escutas envolvendo o ex-presidente Lula.

“A imprensa não produz grampos nem conduz investigações da polícia e da Justiça. A imprensa cumpre o dever de informar sobre elas sem restrições, como assegura a Constituição. E continuará assim”, diz um trecho.

O post em defesa da Globo rendeu mais de 4.700 comentários e quase 54 mil curtidas. O apresentador e editor-chefe do JN fez idêntico esclarecimento em sua página no Twitter, com quase 10 milhões de seguidores.

Nas mesmas redes sociais, fãs saíram em defesa de Bonner e da emissora. A polêmica virtual fez o jornalista diminuir o número de postagens nos últimos dias. Mesmo atacado até com xingamentos, ele não respondeu a nenhum comentário.

Depois do texto direcionado aos críticos da Globo, há duas semanas, Bonner só voltou ao Instagram na noite de quinta-feira (31) para homenagear Twister, o recém-falecido buldogue da família.

Às vésperas de completar 30 anos na Globo (a estreia dele aconteceu em junho de 1986, no comando do SPTV 3a edição), William Bonner festeja a recuperação de audiência do Jornal Nacional nos últimos meses ao mesmo tempo em que vê aumentar o número de contestações em relação à neutralidade do jornalismo sob o seu comando.

Veja 8 provas de que a Globo está mais "moderninha"

A Globo tem mudado. Isso é fato. Seja por uma   mudança de mentalidade ou simples adaptação ao   novo mundo onde YouTube e Netflix são grandes   jogadores de mídia, o velho
Piadas com programas de outras emissoras O programa de Marcelo Adnet e Marcius Melhem é   um dos que carregam essa nova mudança. Desde a   TV Pirata e o início do Casseta e Planeta não   se via um programa humorístico com tanta   liberdade. Citar programas de outras emissoras   sempre foi um tabu, mas virou rotina para o Tá   No Ar.
OK. O horário do programa pode não ser lá essas   coisas: 22h30 aos sábados. Mas já é uma   conquista. Em vez de bailarinas, Fernanda Lima   possui dançarinos seminus. O assunto é livre,   inclusive com muitos convidados da casa.   Enquanto muitos conservadores devem torcer o   nariz, parece que Fernanda Lima emplacou um   formato que antigamente só seria permitido em   uma MTV da vida.
Para ser ver funkeiros e sertanejos em início   de carreira, antes era possível somente no   Legendários, de Marcos Mion. A Globo tem se   rendido aos fenômenos instântaneos da internet.   Fátima Bernardes tem sido a maior cobaia com o   Encontro. A ex-âncora do Jornal Nacional abre   espaço para artistas que estão bombando, como o   MC Bin Laden, dono do hit 'Tá Tranquilo, Tá   Favorável'.
Cauê Fabiano e Mari Palma são responsáveis pelos quadros de jornalismo que
Saiu do CQC, da Band, fez uma ponta no BBB para   depois virar estrela do Vídeo Show. Hoje com   peso de estrela da casa, Iozzi quebrou   completamente o padrão
O mesmo vale para atrações da casa. O programa   tem ensinado a emissora a rir de si mesmo.
Fazer piada com uma marca pode afugentar um   anunciante? É verdade. Esse eterno temor do   departamento comercial parece estar mais   flexível. Essa nova independência de zoar   marcas parece ser um reflexo de estratégias   vindas da internet, como do Porta dos Fundos.
Essa é uma empreitada para tentar puxar o   público da TV a cabo de volta. The Voice, The   Voice Kids, Superstar e tantos quadros de   Luciano Huck e Faustão que são inspirados em   realities shows.

William Bonner enfrenta no Instagram a fúria de críticos do impeachment

Sem mais artigos