Lembre alguns dos melhores filmes de Woody Allen

| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
Um dos filmes mais bizarros do diretor Woody Allen, Zelig é um falso documentário sobre o guarda-livros Leonard Zelig (Woody Allen) que tem uma estranha condição: ser um camaleão social. Ele consegue se parecer e agir como as pessoas à sua volta. | Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
Tudo Pode Dar Certo é o item mais recente da filmografia de Allen. A estreia no Brasil acontece apenas em 12 de março de 2010, mas ele já foi exibido em festivais por aqui. | Créditos: reproducao

Depois de ser acusado de ter abusado de Dylan Farrow por sua filha adotiva em artigo no New Tork Times, Woody Allen resolveu escrever uma longa carta para o mesmo jornal se defendendo e atacando sua ex-mulher Mia Farrow, com quem foi casado por 13 anos.

Dylan Farrow, de 28 anos, escreveu dizendo que foi abusada sexualmente pelo diretor de Annie Hall quando tinha 7 anos, no dia 4 de agosto de 1992, em um pequeno sótão na casa de Mia Farrow, em Connecticut.

“Eu não molestei Dylan. Eu a amava e espero que um dia ela entenda como foi impedida de ter um pai amoroso e explorada por uma mãe mais interessada em sua própria raiva purulenta do que no bem-estar de sua filha”, alegou o diretor de cinema em carta aberta, atacando a atriz Mia Farrow.

Allen afirma que disse para Mia para ambos passarem por um detector de mentira e que a atriz se recusou. E que representantes da atriz procuraram sua ex-namorada Stacey Nelkin para que ela disse que teria tido um caso com o diretor quando tinha 15 anos e não 17. Nelkin, ele lembrou em sua carta, contou este encontro com os assessores da atriz em uma recente entrevista para o canal de TV CNN.

Ele conta que as acusações feitas na época foram negadas por psicólogos da clínica especializada em abuso sexual do hospital de Yale-New Haven. E que o que mais doeu a ele foi ter sido afastado dos filhos: “Moses tinha muita raiva de mim. O Ronan eu não conhecia bem porque a Mia não deixava eu me aproximar desde que ele nasceu e Dylan, que eu adorava, de quem era muito próximo e Mia chamou de minha irmã num ataque de raiva e disse: Ele tomou a minha filha, vou tomar a filha dele”.

O diretor de cinema se separou de Mia para viver e depois se casar com a filha adotiva dela, Soon-Yi. Ele admite que isto gerou muitas decepções e suspeitas em seus fãs, mas ele está casado há 16 anos com ela, e tem dois filhos adotivos.

E concluiu: “Esta será minha palavra final sobre toda esta questão e ninguém vai responder por mim em comentários mais adiante. Um número suficiente de pessoas já foram feridas”.

Woody Allen defende-se da acusação de abuso sexual e ataca Mia Farrow

Sem mais artigos
Sair da versão mobile