Cartagena das Índias

Castelo de San Felipe de Barajas, uma das principais paradas no tour em Cartagena das Índias

 

Foi pouco tempo em solo colombiano, mas valeu a pena me perder em suas ruas cheias de encantos e histórias.

Cada vez mais, a cidade colombiana de Cartagena das Índias está se tornando um dos destinos preferidos por brasileiros. Não é por menos: além da moeda local (peso colombiano) ser um atrativo para nós, brazucas, o clima deste pedacinho caribenho é um fator extra. Em nossa visita, chegamos a pegar 35°C, com a umidade relativa do ar a 94%, o que deixa a cidade ainda mais vibrante, com suas cores e contrastes.

Após um período de decadência, Cartagena vem redescobrindo sua potência como ponto turístico. E os locais já valorizam os turistas brasileiros. Não é difícil esbarrar com guias de turismo e vendedores se esforçando no português.

Arquitetura histórica

A arquitetura centenária é um dos atrativos locais. Nossa primeira parada foi no castelo de San Felipe de Barajas. Construído em 1536 para a proteção da cidade, ele já foi considerado a maior obra militar espanhola do mundo.
Um local imponente que, por 17 mil pesos colombianos (cerca de R$ 18), você pode se aventurar por seus labirintos, cômodos e túneis. Um ponto fraco neste passeio é o assédio dos vendedores ambulantes e as mulheres que vestem roupas parecidas com as das nossas baianas, pedindo aquela “propina” (gorjeta, em espanhol) por uma foto.

 

 

Depois de alguns cliques, é hora de visitar o mercado de Las Bovedas. Outro  antigo prédio militar. Hoje, o local abriga lojas de souvenirs, artesanatos, reproduções de obras de Fernando Botero e tudo que é possível levar de recordação de Cartagena das Índias.

Próximo ao mercado, desbrave ruelas antigas da cidade murada. Parece uma viagem ao passado. As ruas lembram um pouco Paraty (RJ), mas com edificações bem cuidadas e românticas. Perder-se por essas ruas é um passeio inesquecível. No centro histórico, você pode visitar diversos pontos turísticos importantes, como a Catedral Basílica de Santa Catalina de Alejandría, a Igreja de San Pedro Claver e o Teatro de faixada rosa, de Adolfo Mejía.

A caminhada pelas muralhas da cidade é parada obrigatória. Para descansar um pouco, a sugestão é o Café del Mar. Ali, pode se contemplar um pouco da visão ‘alternativa’ de Cartagena, a sua parte moderna. Mas isso é o que menos chama atenção no visual. Para alguns, isso pode até tirar um pouco o romantismo do passeio, tendo enormes arranha-céus como destaque.

Gastronomia

Como toda viagem que se preze, conhecer a culinária local é uma obrigação pra lá de prazerosa. Entre as comidas de rua, destaque para a arepa colombiana, comida típica que mistura massa de pão feito com milho moído e queijo.
Se estiver com tempo, o restaurante Candé, que se diz 100% colombiano, tem uma carne de panela local de comer rezando. O prato se chama Posta Cartagenera.  Acompanha arroz feito no óleo de coco e banana caramelizada.
Para aproveitar tudo o que Cartagena das Índias tem para oferecer e desbravar, é importante reservar no mínimo três dias para a cidade em seu roteiro.

A Posta Cartagenera é um dos pratos local.

A Posta Cartagenera é um dos pratos local. Crédito: Eduardo Palácio / Virgula

 

 

O Virgula viajou a Cartagena das Índias a convite da Pullmantur

 

Sem mais artigos